9 de outubro de 2013

40 DAYS LATER


Passou-se pouco mais de um mês desde que o nosso pequeno índio nasceu. Já me sinto preparada para vos contar as perípécias desse dia...quis guardar um pouco de distância para que as memórias se esbatessem e tudo me parece-se um processo mais que natural. 
Quando soube que estava grávida pela segunda vez, sempre disse que desta vez faria cesariana, para quem se lembra deste post, compreende o porquê...o meu trauma ainda era grande! Mas, com o passar dos meses, e com os relatos de outras mães que me diziam todas que o segunda era muito mais fácil, o medo foi-se dissipando e a coragem fez-me tomar a decisão de que iria tentar uma segunda vez.

Era Sexta-feira e, como ainda nada de sinais que o pequenote quisesse vir ao mundo, resolvemos ir passar o fim de semana a casa dos avós, afinal aí podemos aproveitar uns mergulhos de piscina, a Petra sente-se mais livre e nós também, porque podemos sair só os dois. Nessa noite, saímos até por volta da 1h, mas fui para casa mais devagar e cansada do que nunca e, pelas 4.40h, a dormir, rebentaram-me as águas. O J. levantou-se a correr da cama.."bora"-disse ele, mas a cara dele de pânico fez-me mudar-lhe os planos de que, desta vez, seria ele a assistir e fui chamar a minha mãe, parceira de crime nestas ocasiões (como em todas!).
Eram 6h e estávamos a dar entrada nas urgências, onde o enfermeiro da triagem nos dizia "mais uma", sim era a quinta grávida em trabalho de parto desde a meia noite..."damn", pensei eu!!
As contrações começaram perto das 7.30h, aquelas mais fortes e menos espaçadas, e às 9h já não aguentava de dores, mas as enfermeiras apenas podiam dar-me uma injeção para as atenuar. Eram 10h e a injeção não tinha tido qualquer efeito, as dores eram sufocantes, duravam mais de 1 minuto e estavam com um espaçamento de 3 minutos. "Ok, hora de irmos para o bloco"..estava já com uma dilatação de 6,5 e a injeção no meu caso só tinha acelerado a coisa toda...melhor para mim, mas o meu medo era que já não desse para levar a epidural. Eram 11h e estava a levá-la e, se dizem que a epidural dói muito, garanto que já é a segunda que levo e comparativamente às dores que sentia antes, a epidural nem se sente!!

Contrariamente à primeira vez, desta vez não senti qualquer dor no parto, como levei a epidural com uma dilatação já tão grande ela nunca deixou de fazer efeito, por isso, se a vossa ideia é um parto normal sofram tudo o que conseguirem antes (é insuportável, mas depois compensa).
Quanto ao parto demorou quase 1 hora, e ao fim da primeira meia hora já estava exausta, valeu-me a médica que me ia ajudando psicologicamente. No final de tantos puxões e, quando já tinha o bebé em cima de mim, a minha tensão começou a baixar bruscamente e a Patrícia ía-se indo, não fossem as novas medicinas, muitos medicamentos para as veias, máscara de oxigénio, 2 médicas e 3 enfermeiras de volta de mim e percebo as situações complicadas dos nossos antepassados.

Bem, dramatismos aparte, se fosse hoje tinha feito cesariana, teria que ter lidado com os pontos de uma cicatriz mínima, mas não teria lidado com os imensos pontos que também levei (e num sitio bem mais doloroso) e que não me permitiram sentar durante uma semana. Ainda não consigo ver as vantagens de um parto normal. Quase todas a minhas amigas que fizeram cesariana tiveram uma recuperação melhor que qualquer uma das minhas e os bebés não sofreram puxões de ventosas, faltas de oxigénio e qualquer uma das complicações que podem existir num parto normal e que numa cesariana não existem. Hoje são crianças tão ou mais saudáveis que a Petra que já tomou 5 antibióticos desde que nasceu, por isso, e não querendo influenciar ninguém, uma mulher não merece sofrer tanto quando pode ser tudo bem mais simples, é o que acho, e é a minha opinião pessoal enquanto pessoa que já teve duas doses da mesma experiência...e nada mais!



5 comentários:

  1. Este relato mexeu comigo... apesar de não ter passado pelo que tu passaste vezes dois, acho que vou optar por cesariana quando a altura chegar. Felizmente tudo terminou bem e pequenito está optimo!

    ResponderEliminar
  2. Pena que nos hospitais públicos a cesariana não dependa da escolha da mãe mas sim das indicações médicas ou de grandes cunhas. Restam os privados onde podemos escolher cesarianas à vontade.

    ResponderEliminar
  3. Fogo, coitadinha de ti :( eu acho que deve ser tão horrível a hora do parto, então depois de ler isto... fogo!! O que interessa é que já passou e tens um filho lindo :) aliás 2! *

    ResponderEliminar
  4. O João é lindo! Vi uma fotografia no instagram que me pareceu muito parecido com a Petra. Acredito que tenha sido tudo menos agradavel, mas agora que já passou... é aproveitar <3 esse cheirinho a bebé! Parabéns mais uma vez..
    http://allaboutmakemehappy.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. Bolas... Não fazia ideia de nada destas coisas... Não tinha mesmo noção das diferenças de um parto normal para uma cesariana. Mas ainda bem que tens o teu pequenote ao pé de ti e ambos de óptima saúde! :D

    ResponderEliminar